Tradição de Bandas

Em 1684 Antonio Machado do Passo já contava com duas bandas, uma de brancos e outra de negros em Itu. A música marcial sempre teve um papel significativo na vida das cidades paulistas, pois era um elemento agregador em meio celebrações populares.

Foto: Corporação Musical 30 de Outubro, déc. 1900

 

No século XIX a atividade de banda se intensifica. Sabemos que, após 1850 ao menos seis ou sete bandas existiram concomitantemente em Itu, inclusive na zona rural. Exibindo-se em procissões, em retretas no coreto da praça, fazendo concertos musicais, inclusive em lugares inusitados, como a chaminé da Fábrica São Luiz, as bandas de música agitaram a vida ituana. Envolvidas em questões políticas, foram palco do triste episódio “Jagunços e Maragatos” que dividiu a elite ituana na década de 1890.

 

Lembramos, como antigos Mestres de Banda, Elias Lobo, Tristão Mariano, José Mariano, João Narciso do Amaral, José Victorio de Quadros. Na primeira década do século XX formaram-se as duas bandas atuantes em Itu ainda hoje – Corporação Musical União dos Artistas e Corporação Musical Nossa Senhora do Carmo. Uma terceira – Banda da Fábrica São Pedro existiu por mais de vinte anos.