Vozes de Itu traz música ituana ao Festival de Artes

Release

Vozes de Itu traz música ituana ao Festival de Artes

Repertório será apresentado também em Campinas

 

Na sexta-feira, 12 de julho, o Coral Vozes de Itu apresenta mais um repertório histórico da cidade de Itu. Desta vez as obras musicais transitam entre os séculos XVIII e XIX. O evento, intitulado “Música Sacra: do Brasil colônia ao tempo do império” integra a programação do 26º Festival de Artes de Itu, realizado pela Secretaria Municipal de Cultura de Itu.

No programa o grupo apresenta dois compositores que atuaram em Itu, seja na música ou nas artes plásticas: Padre Jesuíno do Monte Carmelo (1764-1819) e Miguel Arcanjo Benício da Assunção Dutra (1812-1875). Mulatos, ambos deixaram uma produção de rara beleza, que representa a pouco conhecida música brasileira mais antiga, descoberta por pesquisas dos musicólogos Regis Duprat e Lenita Nogueira e, ultimamente pelo Museu da Música – Itu. O mesmo repertório será apresentado, em novembro, em Campinas, onde parte das obras foi encontrada.

Itu foi uma das cidades com maior produção musical no Estado de São Paulo. A intensa vida cultural se materializava no espaço religioso. A música era um dos elementos que conferia notoriedade ao patrimônio cultural imaterial. As obras têm influência de compositores portugueses, mas com a cor paulista.

O evento terá início às 20h. e será realizado na Igreja de Nossa Senhora do Carmo, na qual os compositores atuaram como músicos. O teto da capela mor do templo é de autoria de um dos compositores, o Padre Jesuíno do Monte Carmelo. Em 2019 celebra-se o bicentenário de sua morte.

O evento conta com apoio da Associação Cultural Vozes de Itu e Instituto Cultural de Itu e tem direção artística de Luís Roberto de Francisco e Paulo Zeppini.

A entrada é franca.

 

12 de julho, sexta-feira, 20h

Igreja de Nossa Senhora do Carmo

Local – Praça da Independência s/nº

 

ACADEMIA ITUANA DE LETRAS ASSOCIAÇÃO CULTURAL VOZES DE ITU MUSEU DA MÚSICA – ITU

Nota de Falecimento

Faleceu em Itu, na madrugada do dia 24 de maio de 2019, a Acadêmica Profa. Maria de Lourdes Figueiredo Sioli, aos 80 anos. Nascida em Amparo, a 13 de janeiro de 1939, mudou-se para Itu em 1952, formando-se professora no Instituto de Educação Regente Feijó. Era Pedagoga formada pela Faculdade de Lins e Administradora Escolar (PUC-SP). Atuou como professora e diretora de escolas da Rede Estadual paulista onde se aposentou. Foi professora universitária e coordenadora em escolas de Itu. Em 1989 se tornou a primeira Secretária Municipal de Cultura e Turismo de Itu, desenvolvendo amplo projeto de estruturação de departamentos culturais, dentre eles a EMIA Manolo Santoro, a Biblioteca Infantil, o Museu e Arquivo Histórico Municipal de Itu revitalizou a Biblioteca Pública Municipal, o Museu de Arte Sacra Padre Jesuíno do Monte Carmelo. Dentre as associações culturais foi a criadora da Academia Ituana de Letras, à qual pertenceu desde 1993, ocupando a Cadeira nº 28, tendo por patrono o Regente Feijó. Presidiu a Academia entre 2005 e 2008. Criou também o Instituto de Estudos do Vale do Tietê (INEVAT) da qual foi a primeira presidente (1993). Foi presidente da Associação Cultural Vozes de Itu por oito anos, momento em que o grupo valorizou de maneira notável a música de raiz brasileira e a mergulhou na pesquisa e divulgação música dos compositores de Itu. Participou do grupo fundador do Instituto Cultural de Itu (1999) e do Museu da Música – Itu, no qual ocupava a função de Curadora, desde 2007. Ao completar 80 anos, em janeiro de 2019, lançou o livro Anos Dourados, reunião de crônicas e memórias. Foi também vereadora à Câmara Municipal de Itu entre 1994 e 1996. Viúva do Sr. Dante Sioli, deixou irmãos, os filhos Ana Luiza, Ana Beatriz e Dante, genros, netos e um bisneto. O enterro se dará às 17 horas no Cemitério Municipal de Itu. A Academia Ituana de Letras, o Coral Vozes de Itu e o Museu da Música decretaram luto de três dias em memória de sua grande incentivadora.

MUSEU DA MÚSICA NA 17ª SEMANA DOS MUSEUS

 

MUSEU DA MÚSICA NA 17ª SEMANA DOS MUSEUS

Eventos marcam o futuro das tradições

                O Museu da Música – Itu participa da 17ª edição da Semana Nacional dos Museus plenamente envolvido com o tema proposto pelo IBRAM – Instituto Brasileiro de Museus – “Museus como Núcleos Culturais: o Futuro das Tradições”. Criado em 2007 para fortalecer as ações de preservação da memória musical em Itu, neste ano se une ao Coral Vozes de Itu, ao Museu da Energia de Itu e ao Museu de Arte Sacra para oferecer eventos gratuitos à população e aos visitantes.

O Museu da Música entende que o patrimônio imaterial só é significativo se revelado e presente na vida da sociedade. Para isto tem realizado constantemente ações artísticas e educativas para comunicar o repertório tradicional da música de Itu, a fim de levar ao futuro as tradições culturais tricentenárias da cidade.

Desta vez o Museu da Música se concentra em três áreas tradicionais da música local: a moda de viola, a música sacra e a música de cinema.

O Museu está aberto ao público desde 2009 com visita gratuita. Desde o ano passado oferece, junto às cinco salas de exposição, acesso ao repertório da música de Itu através do sistema QR code. Uma visita ao site www.museudamusicaitu.com.br já poderá elucidar o valor da música ituana para a história da arte brasileira.

Confira a programação do Museu da Música para a 17ª Semana Nacional de Museus

16 de maio, 19h30 – exibição do curta metragem “One week” (Uma semana) de 1920.

Música ao vivo com a Cia. Musical Sorocabana

Intervenção dos Profs. Fernanda Cobo e Luís Roberto de Francisco (CEUNSP)

Parceria com o Museu da Energia de Itu e o CEUNSP

Local – Museu da Energia, Rua Paula Souza, 669

18 de maio, 17h – Concertos Históricos de Itu “Missa e Credo – música de Itu ao tempo da chegada de Madre Theodora”

Obras de Jesuíno do Monte Carmelo, Elias Lobo e Tristão Mariano da Costa

Com o Coral Vozes de Itu

Parceria com o Museu de Arte Sacra Padre Jesuíno do Monte Carmelo

Salão do Anjo – Colégio Patrocínio

Local – Praça Regente Feijó s/nº

19 de maio, 10h –  abertura da mostra “Tradição à moda da viola”

A tradição da música caipira em Itu: memória, arte e educação

Local – Museu da Música – Itu, Rua Floriano Peixoto, 480

19 de maio, 10h30 –  Diálogos 2019 “A religiosidade popular na Reza de São Gonçalo”

Participação dos Profs. Marco Ribeiro e Natan Coleta

Local – Museu da Música – Itu, Rua Floriano Peixoto, 480

O Museu da Música – Itu é mantido pelo Instituto Cultural de Itu e está aberto aos domingos, das 9h às 13h.

 

 

Semana Santa em Itu – Música histórica marca cerimônias da Igreja Católica

 

     Itu guarda uma tradição musical secular para a Semana Santa, possivelmente as mais antigas partituras ainda em uso para as celebrações católicas no Estado de São Paulo. Esta marca importante da cultura local poderá ser vista e ouvida no próximo final de semana quando a Igreja de Nossa Senhora do Carmo promoverá celebrações tradicionais da Igreja local.

 13 de abril de 2019, sábado, 19h30, Solene Ofício de Trevas

       A cerimônia, conduzida pelo Prior do Carmo, Frei Antonio Bento, é a recitação solene do Ofício de Matinas de Laudes da Quarta-Feira Santa. Os salmos, as antífonas e leituras são entoados em Canto Gregoriano pela Schola Cantorum de Itu e Congregados Marianos e pela própria comunidade. Os responsórios, compostos em Itu em 1876 pelo Maestro Tristão Mariano da Costa Lobo serão cantados pelo Coral Vozes de Itu e solistas. Tristão Mariano foi Mestre de Capela na Igreja Matriz e professor de uma geração de músicos da cidade.

 

14 de abril de 2019, domingo, 19h. – Procissão de Passos

     A solenidade, promovida pela Ordem Terceira do Carmo e Congregação Mariana, é conduzida pelo Prior do Carmo que leva a relíquia da Cruz (Santo Lenho) em todo o percurso. Trata-se de uma Via Sacra solene composta de sete estações (passos), muito tradicional da Ordem Carmelitana. A contemplação é feita em casas na região central da cidade. As duas procissões, do Senhor dos Passos e da Senhora das Dores sairão da Igreja do Carmo. O encontro se dará na Igreja do Bom Jesus. O primeiro Passo será armado na residência da Família Bispo, o segundo na residência da Família Xavier de Oliveira, o terceiro na Igreja do Bom Jesus, onde haverá o Sermão do Encontro. O quarto Passo será no Museu da Música – Itu, o quinto na residência da Família Sousa, o sexto em um ponto da Rua Floriano Peixoto e o sétimo na Igreja do Carmo, onde haverá o Sermão do Calvário. Em cada Passo canta a Verônica, a melodia composta pelo Padre Jesuíno do Monte Carmelo e o Coral Vozes de Itu e a Schola Cantorum, acompanhados de orquestra, cantam os Motetes dos Passos do Maestro José Mariano da Costa Lobo. As belíssimas imagens foram esculpidas por Pedro da Cunha no Rio de Janeiro, no século XVIII. Em alguns Passos ainda se conservam os quadros pintados pela artista italiana Lavinia Cereda.

     Padre Jesuíno viveu em Itu entre os séculos XVIII e XIX onde também foi artista plástico. Já José Mariano foi dos mais prestigiados músicos e compositores de sua cidade e morreu prematuramente em 1892. As obras musicais são apresentadas nessas cerimônias desde o século XIX.

     A participação do Coral Vozes de Itu, cantando a música histórica é fruto de uma parceria entre a Secretaria Municipal de Cultura, Museu de Arte Sacra, Museu da Música e o Instituto Cultural de Itu valorizando o patrimônio da cultura imaterial paulista. O grupo está sob a regência de Luís Roberto de Francisco e Paulo Zeppini.

VOZES DE ITU CANTA AS SETE PALAVRAS DE JESUS

VOZES DE ITU CANTA AS SETE PALAVRAS DE JESUS

Concerto traz obra sacra histórica de Elias Lobo

CONCERTOS HISTÓRICOS DE ITU

 O Coral Vozes de Itu e a Secretaria Municipal de Cultura de Itu apresentam mais um evento da série Concertos Históricos de Itu no próximo domingo, dia 07 de abril, às 19h15 na Igreja de Nossa Senhora do Carmo, em Itu. Desta vez a obra musical é o conjunto das Sete Palavras de Jesus na Cruz, compostas pelo maestro Elias Álvares Lobo em 1867.

A peça, dividida em oito partes é uma reflexão às sete últimas frases proclamadas por Jesus já pregado à Cruz. É a primeira peça do gênero escrita no Brasil, com características fortemente nacionalistas, em língua portuguesa. As melodias trazem elementos da modinha brasileira e do lirismo que reinava na música religiosa de então.

A obra foi transcrita por iniciativa do próprio Coral Vozes de Itu em 1995 e apresentada pela primeira vez naquele ano, na Igreja do Carmo.

O texto utilizado para a obra carrega aspectos da língua nacional oitocentista e foi transcrito do italiano pelo Padre Antonio Onorati, da Companhia de Jesus, primeiro reitor do Colégio São Luís.

O concerto conta com apoio do Convento do Carmo, do Museu da Música – Itu, que preserva os originais do autor, do Instituto Cultural de Itu e do Museu de Arte Sacra Padre Jesuíno do Monte Carmelo.

O projeto Concertos Históricos de Itu visa divulgar, ao longo de dez apresentações, o repertório da música local. Todos os eventos são gratuitos e têm entrada livre.

Serviço

Concerto Histórico de Itu (As Sete Palavras de Jesus)

Igreja de Nossa Senhora do Carmo (Praça da Independência, s/nº)

07 de abril de 2019, 19h15

Museu da Música discute tradição medieval do Ofício de Trevas

No domingo 31 de março, o Museu da Música traz mais uma oportunidade de discutir uma bela tradição medieval, o Ofício de Trevas como teatro sacro que representa, através de leituras da Sagrada Escritura em Canto Gregoriano, a Paixão de Jesus Cristo. O evento é mais um encontro da série DIÁLOGOS 2019, desta vez promoção conjunta entre o Museu da Música e a Biblioteca Histórica do Bom Jesus e terá início às 10h, conduzido pelo Prof. Evandro Antonio Correia, Mestre e Doutor em Direito Canônico pela Universidade Lateranense (Roma).

Antiga prática religiosa católica, o Ofício de Trevas foi dispensado da liturgia católica em 1950, mas vem sendo retomado em diversos lugares do Brasil, inclusive em Itu, onde é realizado há 17 anos na Igreja do Carmo.

O palestrante tem grande vivência na liturgia católica, pois foi membro da Ordem Beneditina e organista na Basílica de São Paulo (Roma).

A entrada é franca.

O museu está aberto a visitas aos domingos, entre 9h e 13h. É mantido pelo Instituto Cultural de Itu.

Ofício de Trevas: Teatro Sacro da Paixão

Diálogos – Museu da Música – Itu

31.03.2019, 10 h.

Rua Floriano Peixoto, 480

Entrada franca

Schola Cantorum participa de Ofício de Trevas em Itaici  

Obras musicais foram escritas em Itu e restauradas pelo Museu da Música

No próximo sábado, 30 de março, véspera do quarto Domingo da Quaresma, o Mosteiro de Itaici realizará, a partir das 19h30, o Ofício de Trevas com a participação da Schola Cantorum de Itu. A cerimônia será conduzida pelo Padre Adilson Silva, superior da Casa de Retiros dos Jesuítas.

Entre leituras e salmos da Sagrada Escritura, o Ofício de Matinas de Sábado Santo, contempla a morte de Jesus e nos prepara para a Sua ressurreição. A maioria dos textos sagrados será cantada em Canto Gregoriano medieval. Já os responsórios são de autoria do compositor italiano radicado em Itu, José Tescari (1882-1957), antigo professor de música do Colégio São Luís.

As obras foram compostas em 1912 e apresentadas na Igreja Matriz de Itu até a década de 1930. Hoje estão preservadas no acervo do Museu da Música – Itu. Foram transcritas em 2015 e têm sido cantadas durante a Semana Santa na cidade. A obra é influenciada pelo Movimento Siciliano, inspirado no Renascimento italiano busca proximidade com a leveza do Canto Gregoriano.

O nome Ofício de Trevas é uma alusão ao ambiente escuro em que é realizado. A cerimônia tem entrada livre e se desenrola diante de um candelabro de quinze velas, chamado Tenebrário. É um excelente momento para meditação do tempo da Quaresma.

O Mosteiro de Itaici (Vila Kostka) é uma casa de retiros da Companhia de Jesus e está localizado à Rodovia José Boldrini, Bairro de Itaici em Indaiatuba.

A Schola Cantorum de Itu é grupo de estudos e formação em música litúrgica criado e mantido pelo Instituto Cultural de Itu desde 2015. Tem por regente o Maestro Paulo Zeppini.

Serviço

Ofício de Trevas (Matinas de Sábado Santo)

30 de março de 2019, 19h30

Mosteiro de Itaici (Indaiatuba)

 

Museu da Música discute obra musical do Padre Jesuíno

No domingo, dia 17 de fevereiro, o Museu da Música inicia a série de DIÁLOGOS 2019, desta vez discutindo a obra musical do Padre Jesuíno do Monte Carmelo. Falecido há 200 anos, sua participação na vida cultural de Itu, na passagem dos séculos XVIII e XIX marcou o início da grande produção musical para o Catolicismo local, que teve continuidade até o início do século XX em, pelo menos, quatro gerações de compositores.

Jesuíno Francisco de Paula Gusmão (1764-1819) nasceu em Santos e passou toda a vida adulta em Itu, salvo o tempo em que estudou para ser ordenado padre, vivendo em São Paulo. Foi compositor, cantor, instrumentista, arranjador além de pintor, escultor e arquiteto. Dedicou-se ao sacerdócio como pregador e líder espiritual da comunidade da Igreja do Patrocínio. Algumas de suas obras artísticas são tombadas pelo IPHAN como patrimônio nacional.

Já a obra musical é de descoberta recente, nas décadas de 1960 e 70, pelo musicólogo Regis Duprat e transcrição da Prof. Lenita Nogueira.

O encontro, chamado “A obra musical do Padre Jesuíno do Monte Carmelo”, será conduzida pelo Prof. Luís Roberto de Francisco, pesquisador do Museu da Música – Itu a partir das 10h, no próprio Museu, à Rua Floriano Peixoto, 480.

A entrada é franca.

O museu está aberto a visitas aos domingos, entre 9h e 13h. É mantido pelo Instituto Cultural de Itu.

A obra musical do Padre Jesuíno do Monte Carmelo

Diálogos – Museu da Música – Itu

17.02.2019, 10 h.

Rua Floriano Peixoto, 480

Entrada franca

CONCERTOS HISTÓRICOS DE ITU – NOVENA DO SENHOR BOM JESUS

Release

CORAL VOZES DE ITU INICIA SÉRIE DE CONCERTOS HISTÓRICOS
Eventos celebram bicentenário da morte de Jesuíno do Monte Carmelo

                O Coral Vozes de Itu e a Secretaria Municipal de Cultura de Itu iniciam, no próximo sábado, dia 26, às 19h30, a celebração do bicentenário de morte do mais antigo compositor ituano, o Padre Jesuíno do Monte Carmelo, falecido em 1819, com uma série de concertos históricos. Os eventos são uma realização conjunta com o Museu da Música – Itu e o Instituto Cultural de Itu.

Itu é a cidade do interior paulista que preserva o maior conjunto de obras musicais do séculos XVIII e XIX, no acervo do Museu da Música. O projeto Concertos Históricos de Itu visa divulgar, ao longo de dez concertos, parte desse repertório entre janeiro e novembro. Todos os eventos são gratuitos e têm entrada livre.

 O primeiro dos Concertos Históricos de Itu contempla seis obras sacras compostas entre 1780 e 1890, remanescentes da antiga Novena do Senhor Bom Jesus,  atribuídas a músicos de Itu e São Paulo: André da Silva Gomes, Padre Jesuíno do Monte Carmelo, Padre Jerônimo Pinto Rodrigues, Elias Lobo e Tristão Mariano da Costa, que formam cinco gerações de compositores. A festa do Senhor Bom Jesus teve início em 1766, na igreja de mesmo nome, celebrada em janeiro. Parte de seu repertório foi conservada em velhos arquivos locais.

 As músicas foram restauradas em 2017. Os pesquisadores do museu consideram que se trata do mais antigo conjunto de composições próprias de Itu, que incluem obras que representam extraordinário patrimônio da música paulista dos períodos barroco e romântico.

 O evento, em formato didático, conta com a participação do Coral Vozes de Itu, dirigido pelos maestros Luís Roberto de Francisco e Paulo Zeppini e será realizado no Museu da Música – Itu (Rua Floriano Peixoto, 480), no centro da cidade.

 

Serviço

Concerto Histórico de Itu (A Novena do Senhor Bom Jesus)
Museu da Música – Itu (Rua Floriano Peixoto, 480)
26 de janeiro de 2019, 19h30

ISAURA E NOÊMIA

Release

Museu da Música completa 11 anos

No mês de dezembro o Museu da Música – Itu completa 11 anos de existência. Para celebrar a data está promovendo dois eventos, a fim de ampliar as possibilidade de acesso a sua exposição e garantir, ao público visitante, melhor compreensão do acervo.

30 de novembro, sexta-feira, 19h30 – abertura da intervenção expositiva “Isaura e Noêmia”. Através de pequenos textos, imagens e gravações, revela a trajetória de vida e atividade musical em Itu das cantoras Isaura Portella (1868 – 1957) e Noêmia de Francisco (1918 – 1974), comemorando seu sesquicentenário e centenário de nascimento, respectivamente. A intervenção estará distribuída entre as diversas salas do museu, para caracterizar a presença marcante de ambas nos diversos setores da música ituana. Isaura, aluna de Tristão Mariano da Costa, foi organista e cantora por 50 anos. Noêmia, aluna de Tristão Júnior, foi cantora e coordenadora do Coro do Bom Jesus.

Na mesma ocasião o museu estará ampliando o acesso a gravações de música de compositores ituanos através do sistema QR code, em todas as salas da exposição, projeto desenvolvido pelo técnico em museus Willian Mattei. O sistema permite visualizar áudios e vídeos do Coral Vozes de Itu, da Banda União dos Artistas, do Bloco do R e gravações exclusivas do próprio museu. Basta o visitante baixar o aplicativo em seu celular.

A abertura da exposição contará com a participação do Coro do Bom Jesus.

15 de dezembro, sábado, 20h – abertura da mostra “Música de Cinema”, no Museu da Energia, que completa 19 anos. A mostra revela partituras raras, utilizadas pela orquestra do maestro Tristão Júnior (1880 – 1935) ao tocar nos cinemas da cidade durante os filmes mudos, no início do século XX. Traz também propagandas e programação dos antigos cinemas da cidade. Na ocasião o Prof. Marco Ribeiro, pesquisador do Museu da Música, fará uma apresentação do tema relacionada ao acervo do museu.

O Museu da Música – Itu é mantido pelo Instituto Cultural de Itu e está aberto todos  os domingos das 9h às 13h. com visita gratuita.

Melhores informações – pelo site www.museudamusicaitu.com.br

CORO DO BOM JESUS CANTARÁ EM CELEBRAÇÃO DOS JESUÍTAS

CORO DO BOM JESUS CANTARÁ EM CELEBRAÇÃO DOS JESUÍTAS

            O Coro da Igreja do Bom Jesus participará da celebração do padroeiro da Igreja do Mosteiro de Itaici (Indaiatuba), no próximo domingo, dia 11 de novembro, às 11h. O convite veio por parte dos Jesuítas, que na ocasião celebrarão a festa de Santo Estanislau Kostka, polonês, padroeiro dos noviços da Companhia de Jesus.

A casa de retiros, que já foi sede do noviciado, recebe centenas de fieis durante a missa do domingo, desta feita, celebrando com a comunidade uma de suas festividades principais.

O Coro do Bom Jesus cantará a “Missa Prima Pontificalis” de Domenico Perosi, compositor da Capela Sistina. O grupo, que teve início em 1900, cantou a obra, pela primeira vez, em 1946. Atualmente preserva composições do acervo trazido da Europa por Jesuítas que mantinham a capelania na Igreja do Bom Jesus (Itu) até 1992.

O grupo reúne cerca de quinze cantores e tem como regente Luís Roberto de Francisco. Conta com apoio cultural do Museu da Música – Itu.