TESOURO MUSICAL SERÁ REVELADO EM CONCERTO

Obras inéditas de Miguel Dutra são encontradas e restauradas

O Museu da Música – Itu e a Secretaria Municipal de Cultura de Itu apresentam, neste sábado, um concerto que revelará um tesouro musical que permaneceu preservado por quase 150 anos. Trata-se de um conjunto de composições musicais do artista ituano Miguel Dutra. Segundo pesquisadores do Museu, o achado preenche um hiato de trinta anos na música ituana, do qual nada se conhecia das composições.
Miguel Dutra nasceu em Itu, em 1812 e faleceu em Piracicaba em 1875. Atuou em muitas frentes artísticas, das artes plásticas à construção de pianos. Estudou música no velho Convento Franciscano da cidade, tornando-se exímio organista e compositor tanto de música sacra como de obras profanas.
As obras inéditas serão apresentadas em concerto no sábado, dia 18 de agosto às 20h, na Igreja do Bom Jesus, quando será possível ouvir, pela interpretação do Coro da Câmara do Museu da Música, quinze obras sacras do músico, das quais onze são absolutamente inéditas. As músicas foram compostas entre 1828 e 1858 em Itu, Itatiba e Piracicaba para as cerimônias religiosas do ciclo festivo católico.
Ao longo dos últimos meses as obras vêm sendo restauradas e ensaiadas. A transcrição musical foi feita no próprio Museu da Música a partir dos originais que pertencem à Pinacoteca do Estado de São Paulo.
O evento é gratuito e faz parte de uma série de atividades entre mostras, encontros e apresentações, organizados pela Secretaria Municipal de Cultura de Itu, que procuram compreender melhor a obra do artista.

Concerto – Obra Sacra de Miguel Dutra

Igreja do Bom Jesus

18 de agosto, sábado, 20h.

Entrada Franca

Museu da Música e os guardiões da história

Disponível em:  http://www.itu.com.br/artigo/museu-da-musica-e-os-guardioes-da-historia-20180624

História & Cotidiano  – Publicado: Domingo, 24 de junho de 2018
por: Katia Auvray

“Em Itu, tem”. A frase, dita com despeito ou esperança por moradores de outras cidades da região, vai muito além de uma peça de vestuário ou artigo específico procurado. Passa pela música, religião, tradições culturais e modernidade, além da exuberante natureza e dos registros arqueológicos existentes.

Ouro Preto Paulista, Roma Brasileira ou Cidade dos Exageros, como a alcunhou o humorista Francisco Flaviano de Almeida, o Simplício, na década de 1960, Itu, em São Paulo, é tecida de fragmentos da história do País – da colônia à república. Fazendas de cana-de-açúcar e café, escravidão, imigração, ferrovia, industrialização e imponentes construções convivem com prédios modernos e condomínios luxuosos.

A cidade realiza alguns dos mais tradicionais eventos populares e religiosos do interior paulista, como a Festa do Divino, a Semana Santa e a procissão de Santa Rita, entre outros.

Não é por acaso que esse patrimônio permanece vivo no século 21. Muita gente trabalha para esse resultado. Desde o registro primoroso da história do cotidiano, feito pela revista Campo&Cidade, à bandeira santa que visita as casas – cuidadosamente conservada por devotos alferes – passando pelas marchinhas tocadas pelas bandas centenárias, pelos doces das antigas sinhás, à venda no comércio local e pelos museus, com suas programações dinâmicas.

Criado em dezembro de 2007, o Museu da Música – mantido pelo Instituto Cultural de Itu – detém o mérito de trazer para o presente, muito mais do que as composições perdidas ou inéditas de antigos ituanos. Muitas delas, integrantes dos ofícios religiosos realizados nos séculos 18, 19 e início do 20, como as obras do padre Jesuíno do Monte Carmelo, dos maestros Elias Álvares Lobo e Tristão Mariano da Costa.

A competência e a dedicação de Luís Roberto de Francisco – historiador, maestro e musicólogo – levaram ao resgate e valorização da música erudita e sacra ituana, juntamente com o voluntariado dos associados do Instituto Cultural de Itu, a curadora, Maria de Lourdes Sioli e o investimento dos parceiros.

Durante a Semana Santa, o “Ofício de Trevas”, recuperado em 2003 e cuja transcrição coube aos músicos Vinícius Gavioli e Luís Roberto de Francisco – é realizado na Matriz de Nossa Senhora do Carmo.

Na igreja parcialmente escurecida e durante uma hora e meia, os fiéis recitam salmos, antífonas, leituras e responsórios em latim, à luz de velas e incenso, da quinta-feira santa, lembrando a oração no Monte das Oliveiras, a prisão de Jesus e a traição de Judas, acompanhados por cantochão e canto gregoriano.

No altar, as imagens dos santos e o crucifixo são recobertos com um tecido preto. Catorze, das quinze velas dispostas num grande candelabro – que representam os apóstolos e as Marias que acompanharam a procissão – são apagadas ao longo da cerimônia. A 15ª permanece acesa, representando Jesus e a ressurreição.

Outras composições, conhecidas ou inéditas, foram ou estão em processo de recuperação, para serem apresentadas publicamente ou integradas aos seus ritos originais.

O Museu da Música também é responsável pela Eschola Cantorum. Conta com um importante acervo de fotos, gravações, documentos históricos e objetos que revelam a história de quatro séculos de atividade musical, promove concertos, conferências, ações educativas junto aos alunos das escolas, além da publicação de livros e cadernos sobre o acervo da música ituana.

O trabalho de tantos traz ao olhar contemporâneo dos moradores e turistas, a possibilidade de contemplar, por uma fresta do tempo, as relações da comunidade com a sua própria cultura.

Semana Maestro Elias Lobo

Release

Dia Maestro Elias Lobo é celebrado em Itu

            O Museu da Música – Itu e a Secretaria Municipal de Cultura realizarão, nos próximos dias, encontros culturais e concerto para lembrar a atuação do compositor ituano Elias Álvares Lobo (1834-1901), cuja memória é celebrada com um dia especial.

Elias Lobo nasceu em Itu em 9 de agosto de 1834 e viveu em outras cidades paulistas, onde se firmou como cidadão atuante, no campo das artes, da política e da religião. É uma referência nacional na história da música, porque escreveu a primeira ópera em língua nacional – A Noite de São João – e tema regional, apresentada na Corte do Rio de Janeiro em 1860.

Grande parte de sua obra se encontra preservada no Museu da Música – Itu e tem sido revelada a partir concertos e apresentações, sobretudo pelo Coral Vozes de Itu.

Todos os eventos são gratuitos e abertos ao público.

Programação

03.08.2018 (sexta-feira) – 19h15

Concerto “A música religiosa de Elias Lobo”

Igreja do Bom Jesus – Itu

Coro de Câmara do Museu da Música-Itu

05.08.2018 (domingo) – 10h30

Diálogos “O católico e o liberal na pessoa de Elias Lobo”

Profs. Luís Roberto de Francisco e Marco Ribeiro.

Museu da Música – Itu (Rua Floriano Peixoto, 480).

08.08.2018 (quarta-feira) – 19h15

Comunicação “A família Lobo e o Liberalismo em Itu”

Prof. Luís Roberto de Francisco

CEUNSP – Campus I – Sala 103 F (Praça Regente Feijó, 56 – Itu).

09.08.2018 (quinta-feira) – 8h30.

Ação Educativa “Música: um patrimônio imaterial”

Museu da Música – Itu (Rua Floriano Peixoto, 480)

10.08.2018 (sexta-feira) – 8h30.

Ação Educativa “Música: um patrimônio imaterial”

Museu da Música – Itu (Rua Floriano Peixoto, 480)

Gente da nossa terra

No próximo domingo, dia 24 de junho, o Museu da Música de Itu realizará novo encontro da série “Diálogos”, desta vez discutindo a vida caipira no universo cultural paulista, onde nasceu uma música característica, de raiz rural.

Com início às 10h30, a discussão será conduzida pelo escritor Leonardo Silveira. O jovem, estudante do curso de História, nasceu em Itu, filho de pai migrante nordestino e mãe paulista. Cresceu entre a cidade e o campo, onde passou uma infância privilegiada no sítio da família, no bairro do Varejão (Itu). Em 2015 publicou seu primeiro livro “Contos de Roça e Sertão”, pela editora Giostri, reunindo causos recolhidos nas histórias de sua antiga família ituana.

Leonardo aprendeu também, com a família e amigos, o gosto pela viola de arame, na qual executa músicas nascidas nos velhos bairros rurais de Itu. Atualmente desenvolve pesquisa sobre genealogia e costumes caipiras.

O encontro, intitulado “Gente da nossa terra: modas, causos e histórias”, será mediado pelo Prof. Marco Ribeiro, pesquisador do Museu da Música e especialista no tema do uso do tempo livre na vida rural.

A série de encontros é aberta ao público e é uma iniciativa para aproximar a comunidade da reflexão sobre o papel dos museus na sociedade.

O Museu da Música – Itu tem sede à Rua Floriano Peixoto, 480 e está aberto a visitas aos domingos, entre 9h e 13h. É mantido pelo Instituto Cultural de Itu. Mais informações pelo site: www.museudamusicaitu.com.br

A visita ao Museu e a participação ao evento são gratuitos.

MUSEU DA MÚSICA NA 16ª SEMANA DOS MUSEUS

Release

Novo site marca hiperconexão da música de Itu com o mundo

         

O Museu da Música – Itu está participando da 16ª edição da Semana Nacional dos Museus desde o último domingo, quando realizou, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura e o Coral Vozes de Itu do Cortejo Solene da Bandeira do Divino de Itu. Na ocasião, além da visita aos pousos, a música do maestro Elias Lobo esteve presente, através do Coral Vozes de Itu.

Para esta semana a programação está condensada no dia 20 de maio, domingo, quando o museu realizará um evento alusivo ao tema da 16ª Semana dos Museus: Museus hiperconectados.

Uma das necessidades atuais das instituições museológicas é justamente a comunicação rápida e a possibilidade de informar também através de plataformas virtuais. O Museu da Música, que já havia lançado a possibilidade de conexão do visitante com um acervo online, através do sistema QR code, agora traz um novo site, fruto de reflexão sobre o perfil do acervo do museu e de seus usuários.

O site www.museudamusicaitu.com.br, que está no ar desde 2009, recebeu novo layout. Agora o usuário poderá apreciar as novas exposições, ouvir gravações, assistir a vídeos e ler textos para conhecer melhor o patrimônio musical de Itu, constituído ao longo dos últimos 350 anos. Além disso, poderá fazer compras online de seus produtos: livros e periódicos.

O trabalho de conservação do acervo do Museu da Música bem como as ações educativas e as mostras culturais também são conteúdo do novo site.

O site foi desenvolvido pelo Técnico em Museus William Mattei, que está envolvido com a instituição há 10 anos.

O lançamento será feito no dia 20 de maio, domingo, com a seguinte programação:

10h. Abertura da exposição “Ouvir, cantar e tocar: dos instrumentos musicais às mídias digitais”.

10h30 – Diálogos 2018: “A tecnologia da informação e a virtualização dos espaços culturais”, seguida da apresentação do novo site. Participam José Roberto Santos, William Mattei e Marco Rafael Ribeiro.

O Museu da Música – Itu é mantido pelo Instituto Cultural de Itu e está aberto aos domingos, das 9h às 13h.