Arquivo da categoria: Eventos

Museu da Música discute obra musical do Padre Jesuíno

No domingo, dia 17 de fevereiro, o Museu da Música inicia a série de DIÁLOGOS 2019, desta vez discutindo a obra musical do Padre Jesuíno do Monte Carmelo. Falecido há 200 anos, sua participação na vida cultural de Itu, na passagem dos séculos XVIII e XIX marcou o início da grande produção musical para o Catolicismo local, que teve continuidade até o início do século XX em, pelo menos, quatro gerações de compositores.

Jesuíno Francisco de Paula Gusmão (1764-1819) nasceu em Santos e passou toda a vida adulta em Itu, salvo o tempo em que estudou para ser ordenado padre, vivendo em São Paulo. Foi compositor, cantor, instrumentista, arranjador além de pintor, escultor e arquiteto. Dedicou-se ao sacerdócio como pregador e líder espiritual da comunidade da Igreja do Patrocínio. Algumas de suas obras artísticas são tombadas pelo IPHAN como patrimônio nacional.

Já a obra musical é de descoberta recente, nas décadas de 1960 e 70, pelo musicólogo Regis Duprat e transcrição da Prof. Lenita Nogueira.

O encontro, chamado “A obra musical do Padre Jesuíno do Monte Carmelo”, será conduzida pelo Prof. Luís Roberto de Francisco, pesquisador do Museu da Música – Itu a partir das 10h, no próprio Museu, à Rua Floriano Peixoto, 480.

A entrada é franca.

O museu está aberto a visitas aos domingos, entre 9h e 13h. É mantido pelo Instituto Cultural de Itu.

A obra musical do Padre Jesuíno do Monte Carmelo

Diálogos – Museu da Música – Itu

17.02.2019, 10 h.

Rua Floriano Peixoto, 480

Entrada franca

CONCERTOS HISTÓRICOS DE ITU – NOVENA DO SENHOR BOM JESUS

Release

CORAL VOZES DE ITU INICIA SÉRIE DE CONCERTOS HISTÓRICOS
Eventos celebram bicentenário da morte de Jesuíno do Monte Carmelo

                O Coral Vozes de Itu e a Secretaria Municipal de Cultura de Itu iniciam, no próximo sábado, dia 26, às 19h30, a celebração do bicentenário de morte do mais antigo compositor ituano, o Padre Jesuíno do Monte Carmelo, falecido em 1819, com uma série de concertos históricos. Os eventos são uma realização conjunta com o Museu da Música – Itu e o Instituto Cultural de Itu.

Itu é a cidade do interior paulista que preserva o maior conjunto de obras musicais do séculos XVIII e XIX, no acervo do Museu da Música. O projeto Concertos Históricos de Itu visa divulgar, ao longo de dez concertos, parte desse repertório entre janeiro e novembro. Todos os eventos são gratuitos e têm entrada livre.

 O primeiro dos Concertos Históricos de Itu contempla seis obras sacras compostas entre 1780 e 1890, remanescentes da antiga Novena do Senhor Bom Jesus,  atribuídas a músicos de Itu e São Paulo: André da Silva Gomes, Padre Jesuíno do Monte Carmelo, Padre Jerônimo Pinto Rodrigues, Elias Lobo e Tristão Mariano da Costa, que formam cinco gerações de compositores. A festa do Senhor Bom Jesus teve início em 1766, na igreja de mesmo nome, celebrada em janeiro. Parte de seu repertório foi conservada em velhos arquivos locais.

 As músicas foram restauradas em 2017. Os pesquisadores do museu consideram que se trata do mais antigo conjunto de composições próprias de Itu, que incluem obras que representam extraordinário patrimônio da música paulista dos períodos barroco e romântico.

 O evento, em formato didático, conta com a participação do Coral Vozes de Itu, dirigido pelos maestros Luís Roberto de Francisco e Paulo Zeppini e será realizado no Museu da Música – Itu (Rua Floriano Peixoto, 480), no centro da cidade.

 

Serviço

Concerto Histórico de Itu (A Novena do Senhor Bom Jesus)
Museu da Música – Itu (Rua Floriano Peixoto, 480)
26 de janeiro de 2019, 19h30

ISAURA E NOÊMIA

Release

Museu da Música completa 11 anos

No mês de dezembro o Museu da Música – Itu completa 11 anos de existência. Para celebrar a data está promovendo dois eventos, a fim de ampliar as possibilidade de acesso a sua exposição e garantir, ao público visitante, melhor compreensão do acervo.

30 de novembro, sexta-feira, 19h30 – abertura da intervenção expositiva “Isaura e Noêmia”. Através de pequenos textos, imagens e gravações, revela a trajetória de vida e atividade musical em Itu das cantoras Isaura Portella (1868 – 1957) e Noêmia de Francisco (1918 – 1974), comemorando seu sesquicentenário e centenário de nascimento, respectivamente. A intervenção estará distribuída entre as diversas salas do museu, para caracterizar a presença marcante de ambas nos diversos setores da música ituana. Isaura, aluna de Tristão Mariano da Costa, foi organista e cantora por 50 anos. Noêmia, aluna de Tristão Júnior, foi cantora e coordenadora do Coro do Bom Jesus.

Na mesma ocasião o museu estará ampliando o acesso a gravações de música de compositores ituanos através do sistema QR code, em todas as salas da exposição, projeto desenvolvido pelo técnico em museus Willian Mattei. O sistema permite visualizar áudios e vídeos do Coral Vozes de Itu, da Banda União dos Artistas, do Bloco do R e gravações exclusivas do próprio museu. Basta o visitante baixar o aplicativo em seu celular.

A abertura da exposição contará com a participação do Coro do Bom Jesus.

15 de dezembro, sábado, 20h – abertura da mostra “Música de Cinema”, no Museu da Energia, que completa 19 anos. A mostra revela partituras raras, utilizadas pela orquestra do maestro Tristão Júnior (1880 – 1935) ao tocar nos cinemas da cidade durante os filmes mudos, no início do século XX. Traz também propagandas e programação dos antigos cinemas da cidade. Na ocasião o Prof. Marco Ribeiro, pesquisador do Museu da Música, fará uma apresentação do tema relacionada ao acervo do museu.

O Museu da Música – Itu é mantido pelo Instituto Cultural de Itu e está aberto todos  os domingos das 9h às 13h. com visita gratuita.

Melhores informações – pelo site www.museudamusicaitu.com.br

CORO DO BOM JESUS CANTARÁ EM CELEBRAÇÃO DOS JESUÍTAS

CORO DO BOM JESUS CANTARÁ EM CELEBRAÇÃO DOS JESUÍTAS

            O Coro da Igreja do Bom Jesus participará da celebração do padroeiro da Igreja do Mosteiro de Itaici (Indaiatuba), no próximo domingo, dia 11 de novembro, às 11h. O convite veio por parte dos Jesuítas, que na ocasião celebrarão a festa de Santo Estanislau Kostka, polonês, padroeiro dos noviços da Companhia de Jesus.

A casa de retiros, que já foi sede do noviciado, recebe centenas de fieis durante a missa do domingo, desta feita, celebrando com a comunidade uma de suas festividades principais.

O Coro do Bom Jesus cantará a “Missa Prima Pontificalis” de Domenico Perosi, compositor da Capela Sistina. O grupo, que teve início em 1900, cantou a obra, pela primeira vez, em 1946. Atualmente preserva composições do acervo trazido da Europa por Jesuítas que mantinham a capelania na Igreja do Bom Jesus (Itu) até 1992.

O grupo reúne cerca de quinze cantores e tem como regente Luís Roberto de Francisco. Conta com apoio cultural do Museu da Música – Itu.

Há uma cultura brasileira? – Debates sobre a identidade nacional

Release

 Museu da Música discute Identidade Nacional

            No próximo domingo, dia 04 de novembro, o Museu da Música contará com a presença do Prof. Dr. Leandro Thomaz de Almeida, para discutir o tema “Há uma cultura brasileira? – Debates sobre a identidade nacional”.

A proposta deste encontro é discutir o que nos distingue, enquanto nação, das outras nações. O que está incluído no “ser brasileiro” que não faria parte de nenhuma outra nacionalidade? Há elementos genuinamente nacionais? Essas e outras questões floresceram com força no Brasil no século XIX e envolveram letrados como Machado de Assis e José de Alencar. No século XX, a questão não perdeu força, ao contrário: com os modernistas, o velho debate suscitou novas questões, as quais ainda são fundamentais para se compreender o desenvolvimento tanto das artes de uma maneira geral, quanto da própria sociedade brasileira. No século XXI, quando a chamada globalização põe em questão as fronteiras nacionais e as imigrações abalam identidades rígidas e aparentemente imutáveis, o tema da identidade nacional permanece na ordem do dia.

O Prof. Leandro Thomaz de Almeida é formado em Letras pela Unicamp, onde fez Mestrado e Doutorado em Teoria e História Literária. Fez estágios de pesquisa na Universidade Sorbonne, em Paris, e na Universidade da California, em Davis. Autor de artigos sobre crítica literária em revistas especializadas, escreveu também É necessário queimar os hereges – Sébastien Castellion e a liberdade de opinião na época da Reforma ProtestanteUma outra herança reformada – reflexões a partir de Sébastien Castellion (em parceria com André Casagrande) e organizou o livro Rostos do fundamentalismo – abordagens histórico-críticas.

O encontro é gratuito e tem início às 10h30 no Museu da Música – Itu (Rua Floriano Peixoto, 480), centro. O museu é mantido pelo Instituto Cultural de Itu e está aberto todos os domingos entre 9h e 13h com visita também gratuita.

MÚSICA DE MIGUEL DUTRA EM SOROCABA

Release

MÚSICA DE MIGUEL DUTRA EM SOROCABA

Obras inéditas serão apresentadas no Mosteiro de São Bento

 

A convite do Mosteiro de São Bento de Sorocaba, o Coro de Câmara do Museu da Música – Itu apresentará, neste domingo, dia 21, às 18h, um concerto com obras sacras de Miguel Dutra. O repertório histórico, escrito entre 1828 e 1858 foi encontrado no ano passado e restaurado pelo Museu da Música – Itu.

Conhecido como artista plástico, arquiteto e memorialista, Miguel Arcanjo Benício da Assunção Dutra (1812 – 1875) deixou um conjunto de 48 obras musicais que se revelam como um tesouro musical, que permaneceu preservado por quase 150 anos. A obra preenche um hiato de trinta anos na música ituana, do qual nada se conhecia das composições. Como Sorocaba, Itu guardou uma tradição antiquíssima de música sacra, com gerações de compositores e intérpretes.

Ao longo dos últimos meses as obras vêm sendo restauradas e ensaiadas. A transcrição musical foi feita no próprio Museu da Música a partir dos originais que pertencem à Pinacoteca do Estado de São Paulo. As músicas de Miguel Dutra, compostas para o ciclo religioso católico no séc. XIX, foram apresentadas em concerto inaugural em agosto e agora, pela primeira vez, serão ouvidas fora de Itu.

O Coro da Câmara do Museu da Música é composto de dez cantores, tem como regente Luís Roberto de Francisco e preparador vocal Paulo Zeppini.

O evento é gratuito, iniciativa da Ferratini Produções Culturais, da Associação Amigos do Mosteiro de São Bento de Sorocaba e conta com apoio cultural do Instituto Cultural de Itu, da Secretaria Municipal de Cultura de Itu e do Maestro Lúcio Martini.

Concerto – Obra Sacra de Miguel Dutra

Mosteiro de São Bento de Sorocaba

Largo de São Bento, 62

21 de outubro, domingo, 18h.

Entrada Franca

DIÁLOGOS 2018 – A leitura como instrumento de transformação

 

Release

Museu da Música discute o papel da leitura

            No próximo domingo, dia 21 de outubro, às 10h30, o Museu da Música realizará o encontro mensal DIÁLOGOS, discutindo o papel da leitura na formação cultural de um indivíduo. O tema será conduzido pela Profa. Paula Pelegrini.

A pesquisadora parte da ideia de que diversas gerações de cidadãos passaram a vida sem ter contato com a leitura, a escrita e a interpretação, permanecendo submissas a decisões político-econômicas dos letrados. Considera que ler é algo realmente libertador!

O encontro aborda o papel da leitura como transformador da realidade, bem como a música e a arte em geral são instrumentos de releituras da vida e reflexão acerca de temas sociais.

Paula Regina Carvalho Pelegrini é professora de Língua Portuguesa e Literatura, especialista em Letras pela Unicamp, atuante na rede pública e privada do ensino básico na cidade de Cabreúva. Tem textos publicados no Jornal Primeira Feira (Salto) e outras produções na área de literatura e educação. É autora do capítulo “Ofélia no País dos Labirintos” no livro O Desejo em cena: ensaios de estética filmográfica contemporânea organizado por Juan Guillermo D Droguett.

É a idealizadora do projeto Jovem Orador que está em sua quarta edição, em Cabreúva, buscando a valorização da oratória em sala de aula.

O Museu da Música é mantido pelo Instituto Cultural de Itu e está aberto todos os domingos entre 9h e 13h com visita gratuita.

Primavera nos Museus 2018

Release
Primavera nos Museus 2018
Atividades no Museu da Música – Itu

Entre os dias 18 e 23 de setembro de 2018 o Museu da Música – Itu realizará uma programação especial para celebrar a 12ª Primavera nos Museus. O objetivo é estimular a visitação aos museus e criar maiores vínculos com a comunidade.

O tema do evento para 2018 é “Celebrando a Educação em Museus”, que provoca as instituições a estabelecer novas relações entre o acervo e o público. Em especial o Museu da Música, além da mostra de longa duração, estará encerrando a exposição “ouvir, tocar e cantar: dos instrumentos musicais às mídias digitais” que discute a substituição da música ao vivo pelas gravações, no universo doméstico, além de propor temas correlatos como a convivência familiar, o gosto musical e as imposições da mídia sobre a cultura.

Programação

18 de setembro de 2018, 3ª feira, 8h30.
Ação Educativa – “do piano ao MP3 – a música na vida doméstica”
Para alunos de escolas de Itu
No Museu da Música – Itu – Rua Floriano Peixoto, 480, Itu.

19 de setembro de 2018, 4ª feira, 19h.
Ação Educativa – “A música na Idade Média”
Para graduandos do curso de História do CEUNSP

20 de setembro de 2018, 5ª feira, 19h30.
Ação Educativa – “do piano ao MP3 – a música na vida doméstica”
Para o Coral Vozes de Itu
No Museu da Música – Itu

23 de setembro de 2018, domingo, de 9h a 13h.
Visita monitorada ao Museu da Música – Itu
Jornada do Patrimônio Histórico de Itu

O Museu da Música – Itu é mantido pelo Instituto Cultural de Itu e está aberto à visitação todos  os domingos das 9h às 13h. com visita gratuita.

Melhores informações – pelo site www.museudamusicaitu.com.br

TESOURO MUSICAL SERÁ REVELADO EM CONCERTO

Obras inéditas de Miguel Dutra são encontradas e restauradas

O Museu da Música – Itu e a Secretaria Municipal de Cultura de Itu apresentam, neste sábado, um concerto que revelará um tesouro musical que permaneceu preservado por quase 150 anos. Trata-se de um conjunto de composições musicais do artista ituano Miguel Dutra. Segundo pesquisadores do Museu, o achado preenche um hiato de trinta anos na música ituana, do qual nada se conhecia das composições.
Miguel Dutra nasceu em Itu, em 1812 e faleceu em Piracicaba em 1875. Atuou em muitas frentes artísticas, das artes plásticas à construção de pianos. Estudou música no velho Convento Franciscano da cidade, tornando-se exímio organista e compositor tanto de música sacra como de obras profanas.
As obras inéditas serão apresentadas em concerto no sábado, dia 18 de agosto às 20h, na Igreja do Bom Jesus, quando será possível ouvir, pela interpretação do Coro da Câmara do Museu da Música, quinze obras sacras do músico, das quais onze são absolutamente inéditas. As músicas foram compostas entre 1828 e 1858 em Itu, Itatiba e Piracicaba para as cerimônias religiosas do ciclo festivo católico.
Ao longo dos últimos meses as obras vêm sendo restauradas e ensaiadas. A transcrição musical foi feita no próprio Museu da Música a partir dos originais que pertencem à Pinacoteca do Estado de São Paulo.
O evento é gratuito e faz parte de uma série de atividades entre mostras, encontros e apresentações, organizados pela Secretaria Municipal de Cultura de Itu, que procuram compreender melhor a obra do artista.

Concerto – Obra Sacra de Miguel Dutra

Igreja do Bom Jesus

18 de agosto, sábado, 20h.

Entrada Franca

Museu da Música e os guardiões da história

Disponível em:  http://www.itu.com.br/artigo/museu-da-musica-e-os-guardioes-da-historia-20180624

História & Cotidiano  – Publicado: Domingo, 24 de junho de 2018
por: Katia Auvray

“Em Itu, tem”. A frase, dita com despeito ou esperança por moradores de outras cidades da região, vai muito além de uma peça de vestuário ou artigo específico procurado. Passa pela música, religião, tradições culturais e modernidade, além da exuberante natureza e dos registros arqueológicos existentes.

Ouro Preto Paulista, Roma Brasileira ou Cidade dos Exageros, como a alcunhou o humorista Francisco Flaviano de Almeida, o Simplício, na década de 1960, Itu, em São Paulo, é tecida de fragmentos da história do País – da colônia à república. Fazendas de cana-de-açúcar e café, escravidão, imigração, ferrovia, industrialização e imponentes construções convivem com prédios modernos e condomínios luxuosos.

A cidade realiza alguns dos mais tradicionais eventos populares e religiosos do interior paulista, como a Festa do Divino, a Semana Santa e a procissão de Santa Rita, entre outros.

Não é por acaso que esse patrimônio permanece vivo no século 21. Muita gente trabalha para esse resultado. Desde o registro primoroso da história do cotidiano, feito pela revista Campo&Cidade, à bandeira santa que visita as casas – cuidadosamente conservada por devotos alferes – passando pelas marchinhas tocadas pelas bandas centenárias, pelos doces das antigas sinhás, à venda no comércio local e pelos museus, com suas programações dinâmicas.

Criado em dezembro de 2007, o Museu da Música – mantido pelo Instituto Cultural de Itu – detém o mérito de trazer para o presente, muito mais do que as composições perdidas ou inéditas de antigos ituanos. Muitas delas, integrantes dos ofícios religiosos realizados nos séculos 18, 19 e início do 20, como as obras do padre Jesuíno do Monte Carmelo, dos maestros Elias Álvares Lobo e Tristão Mariano da Costa.

A competência e a dedicação de Luís Roberto de Francisco – historiador, maestro e musicólogo – levaram ao resgate e valorização da música erudita e sacra ituana, juntamente com o voluntariado dos associados do Instituto Cultural de Itu, a curadora, Maria de Lourdes Sioli e o investimento dos parceiros.

Durante a Semana Santa, o “Ofício de Trevas”, recuperado em 2003 e cuja transcrição coube aos músicos Vinícius Gavioli e Luís Roberto de Francisco – é realizado na Matriz de Nossa Senhora do Carmo.

Na igreja parcialmente escurecida e durante uma hora e meia, os fiéis recitam salmos, antífonas, leituras e responsórios em latim, à luz de velas e incenso, da quinta-feira santa, lembrando a oração no Monte das Oliveiras, a prisão de Jesus e a traição de Judas, acompanhados por cantochão e canto gregoriano.

No altar, as imagens dos santos e o crucifixo são recobertos com um tecido preto. Catorze, das quinze velas dispostas num grande candelabro – que representam os apóstolos e as Marias que acompanharam a procissão – são apagadas ao longo da cerimônia. A 15ª permanece acesa, representando Jesus e a ressurreição.

Outras composições, conhecidas ou inéditas, foram ou estão em processo de recuperação, para serem apresentadas publicamente ou integradas aos seus ritos originais.

O Museu da Música também é responsável pela Eschola Cantorum. Conta com um importante acervo de fotos, gravações, documentos históricos e objetos que revelam a história de quatro séculos de atividade musical, promove concertos, conferências, ações educativas junto aos alunos das escolas, além da publicação de livros e cadernos sobre o acervo da música ituana.

O trabalho de tantos traz ao olhar contemporâneo dos moradores e turistas, a possibilidade de contemplar, por uma fresta do tempo, as relações da comunidade com a sua própria cultura.

Semana Maestro Elias Lobo

Release

Dia Maestro Elias Lobo é celebrado em Itu

            O Museu da Música – Itu e a Secretaria Municipal de Cultura realizarão, nos próximos dias, encontros culturais e concerto para lembrar a atuação do compositor ituano Elias Álvares Lobo (1834-1901), cuja memória é celebrada com um dia especial.

Elias Lobo nasceu em Itu em 9 de agosto de 1834 e viveu em outras cidades paulistas, onde se firmou como cidadão atuante, no campo das artes, da política e da religião. É uma referência nacional na história da música, porque escreveu a primeira ópera em língua nacional – A Noite de São João – e tema regional, apresentada na Corte do Rio de Janeiro em 1860.

Grande parte de sua obra se encontra preservada no Museu da Música – Itu e tem sido revelada a partir concertos e apresentações, sobretudo pelo Coral Vozes de Itu.

Todos os eventos são gratuitos e abertos ao público.

Programação

03.08.2018 (sexta-feira) – 19h15

Concerto “A música religiosa de Elias Lobo”

Igreja do Bom Jesus – Itu

Coro de Câmara do Museu da Música-Itu

05.08.2018 (domingo) – 10h30

Diálogos “O católico e o liberal na pessoa de Elias Lobo”

Profs. Luís Roberto de Francisco e Marco Ribeiro.

Museu da Música – Itu (Rua Floriano Peixoto, 480).

08.08.2018 (quarta-feira) – 19h15

Comunicação “A família Lobo e o Liberalismo em Itu”

Prof. Luís Roberto de Francisco

CEUNSP – Campus I – Sala 103 F (Praça Regente Feijó, 56 – Itu).

09.08.2018 (quinta-feira) – 8h30.

Ação Educativa “Música: um patrimônio imaterial”

Museu da Música – Itu (Rua Floriano Peixoto, 480)

10.08.2018 (sexta-feira) – 8h30.

Ação Educativa “Música: um patrimônio imaterial”

Museu da Música – Itu (Rua Floriano Peixoto, 480)